Notícias

15.07.2021

Economia de Francisco

Arquidiocese de Maringá inicia curso gratuito sobre iniciativa do Papa Francisco. Faça sua inscrição

Articulação pela Economia de Francisco e Clara (ABEFC)  teve seu início a partir do chamado do Papa Francisco, feito em maio de 2019, convocando jovens empreendedores, economistas e transformadores sociais do mundo todo para um “compromisso no espírito de São Francisco, a fim de tornar a economia de hoje e de amanhã justa, sustentável e inclusiva, sem deixar ninguém para trás”. A convocação dos jovens teve com foco central o encontro Economia de Francisco, que devido à pandemia aconteceu de forma totalmente online nos dias 19, 20 e 21 de novembro de 2020.

Com isso, Dioceses de todo o mundo começaram um trabalho em cima da proposta do Santo Padre, motivando os jovens nesta ação transformadora da mentalidade e das ações da sociedade econômica atual. A Arquidiocese de Maringá (PR) é uma delas.

Em 2021, a Arquidiocese, em parceria com a Uningá, está lançando a “Escola da Economia de Francisco”: Uma iniciativa que busca fomentar um novo modelo de economia “que faz viver e não mata, inclui e não exclui, humaniza e não desumaniza, cuida da criação e não a devasta”.

Serão 5 módulos, divididos em 5 encontros online através da plataforma Moodle. As aulas serão realizadas aos sábados, das 15 às 17 horas, com os seguintes temas em cada módulo:

  1. Economia popular solidária
  2. Desigualdade e pobreza
  3. Educação e finanças pessoais
  4. Modelo econômico atual
  5. Economia de Francisco

As inscrições podem ser realizadas até o dia 20 de julho, com a primeira aula programada para o dia 24 do mesmo mês. Para se inscrever acesse o link da d Uningá:

https://uninga.jacad.com.br/academico/eventos/

Após o encerramento do curso, em 15 de dezembro, será emitido um certificado de 64 horas para cada participante, desde que atenda a frequência mínima de 75% das aulas. 

 

Grande Encontro Online 

A Articulação Brasileira pela Economia de Francisco e Clara vem fazendo um percurso amplo nesses últimos dois anos de consolidação do que será a “Economia de Francisco e Clara”.

Nesse sentido, um amplo time da ABEFC vem buscando nos últimos meses, em decorrência do planejamento da ABEFC para 2021, sistematizar 10 princípios que fundamentam a Economia de Francisco e Clara e que são ponto de partida para dar alma à economia do amanhã!

Com isso, um grande encontro está sendo preparado para próximo sábado, dia 17 de julho, a partir das 16h. Não é necessária inscrição, podendo acompanhar através das mídias digitais da ABEFC:

Participe | Sábado, 17 de julho às 16h|

Youtube

https://www.youtube.com/channel/UCfev6rZGHU4WAPA8lNDUJCg/videos

Facebook

https://www.facebook.com/EconomiaDeFranciscoEClara

 

Casas de Francisco e Clara

Em vários lugares do mundo, inciativas parecidas estão sendo realizadas. No Brasil, a Aliança Mulher Mãe Terra e as Casas de Francisco e Clara são exemplos de projetos que se entrelaçam e se complementam. Enquanto a Aliança apresenta uma agenda global pelo acesso das mulheres à terra como condição sine qua non para a soberania alimentar no mundo, as Casas de Francisco e Clara nascem como lugares de vivência e imersão, através dos quais a prática da Economia de Francisco e Clara acontece na vida das comunidades.

A proposta da Economia de Francisco e Clara é construir um novo pensamento e novas condutas que apontem para o bem viver entre os povos a partir de uma economia a serviço da vida.

O convite, portanto, é reaprender a viver no mundo na tarefa de convergir, em múltiplos espaços juvenis e formativos, esta raiz metodológica do pontificado do Papa Francisco: a cultura do encontro. A Casa de Francisco e Clara é esse chamado a todas as pessoas, especialmente às juventudes, de experienciar ecologias e economias de maneira integral.

Portanto, é enraizar as bandeiras das juventudes nas lutas do povo e com o povo, sujar as mãos no trabalho comunitário, propor pactos, reunir diferentes, realmar as periferias com o que ela tem de mais poderoso: a capacidade coletiva de construir outras formas de sociabilidade, de se organizar e se (re)descobrir. Neste mutirão de reconstruir Casas de Francisco e Clara, apontamos 10 eixos místicos que fundamentam este movimento:

 

-Lugar de encontro com os empobrecidos;

-Lugar de trabalho e contemplação;

-Lugar de cultivo e preservação da biodiversidade;

-Lugar de inovação, com energia limpa e renovável;

-Lugar de potencializar o desenvolvimento regional territorial;

-Lugar de vivenciar e aprofundar o humanismo solidário do Papa Francisco;

-Lugar de conhecer uma Teologia para Libertação;

-Lugar-farol de esperança para as juventudes;

-Lugar de partilhar experiências globais por outro mundo possível;

- Lugar de escutar os gritos da humanidade e de encontrar-se com a Palavra.