Artigo

Seminarista Alex Fernandes Braz de Azevedo

FALANDO SOBRE VOCAÇÃO

Por Seminarista Alex Fernandes Braz de Azevedo

 

Vocação é dom do amor de Deus, é o que nos leva ao encontro do outro de forma concreta e gratuita. Cristo nos salva e nos envia.

Somos chamados por Jesus a entrar no barco e a responder como Pedro: “Em atenção à tua palavra, vou lançar as redes” (Lucas 5,5). O banco do barco está vazio, porque ali é lugar de cada um de nós na missão do anúncio do Evangelho e na promoção das vocações. É belíssimo compreender que Deus quer a todos e nos capacita com dons para a construção de Seu reino de amor, dentro de nossa realidade. Deus não precisa de nossa ajuda em seu projeto, mas quis contar conosco mesmo assim.

Vocação é dizer SIM a Deus. É descobrir que somos parte de um espaço no mundo, numa Igreja em saída, disponível para o serviço aos irmãos, a Igreja presente no mundo vai nos apresentando diversas possibilidades que nos mostram o que seria vocação. Em outras palavras, os diversos caminhos que devemos conhecer.

Desse modo, o discernimento e a descoberta ao chamado feito por Deus devem ser guiados por um orientador vocacional, cuja experiência nos conduz, por meio do diálogo, ao discernimento e à abertura de coração. Assim, ao longo da caminhada, vamos percebendo os sinais de Deus, sinais que se apresentam de forma concreta, por meio de nossa maturidade na fé e por meio dos acontecimentos concretos do dia a dia.

São muitas as formas de responder sim a Deus, e, para isso, precisamos conhecê-las: Vocação à vida matrimonial, vai ao encontro do amor que se realiza na união do homem e da mulher, sendo o casal convidado a gerar o amor por meio da família, esta que é o berço das vocações. Vocação à vida consagrada é para aqueles que se sentem chamados por Deus para dedicar sua vida na concretude do batismo, com seu tempo e suas forças, ao serviço dos irmãos. Assim, por meio do Evangelho, buscam testemunham o amor fraterno vivendo em comunidade e visando a um mundo melhor. Na Vocação sacerdotal, os homens são chamados a ser continuadores da missão de Cristo, com o sacramento da Ordem, colocando-se inteiramente a serviço do povo de Deus. Desse modo, Jesus, o Bom Pastor, é inspiração pare esse projeto de vida. Já a Vocação do cristão leigo está acessível a todo cristão. Nela, o cristão é chamado a ser sinal de Cristo no mundo, a desempenhar diversos serviços que contribuem para a propagação da Boa Nova de Jesus.

Para chegarmos a uma resposta concreta do chamado feito por Jesus, precisamos nos aproximar Dele. O Santo Padre, em sua exortação apostólica pós-sinodal “Christus Vivit”, provoca-nos com o chamamento do amigo. Francisco afirma que, para discernimos nossa vocação, precisamos manter viva a nossa amizade com Jesus. “Para discernir a própria vocação, é preciso reconhecer que a mesma é a chamada dum amigo: Jesus. Aos amigos, quando se dá uma prenda, oferece-se o melhor; isto não significa que seja necessariamente a prenda mais cara ou difícil de conseguir, mas a que – sabemos – dará alegria ao outro" (cf.287 CV).

Portanto, vocação é sinônimo de compreensão, o encontro de duas liberdades, a nossa e a de Deus, que nos convida a fazer parte de seu projeto de amor em meio à sociedade, em meio aos desafios da atualidade. Tenha você, hoje, a coragem de abrir seu coração e de responder sim à Vida, ao chamado que Deus te faz.