Artigo

Pe. Antônio Valdeir Duarte de Queiróz

JESUS CRISTO É MISSÃO!

Por Pe. Antônio Valdeir Duarte de Queiróz

 

Iniciamos o mês de outubro, mês de conscientização de nossa vocação batismal. A Igreja nos convida a viver a campanha missionária nas Comunidades Eclesiais de Base, tendo como inspiração bíblica: “Não podemos deixar de falar sobre o que vimos e ouvimos” (At 4,20). A realidade prolongada da pandemia se tornou para nós cristãos um desafio e também lugar missionário, porque a missão não parou. Sabemos que encontramos vários limites no início do período pandêmico: a falta de conhecimento da doença, incertezas, medos, notícias falsas, negacionismos, entre outros. Entretanto, seguindo todos os cuidados, percebemos que o cuidado consigo e com o próximo faz parte da missão da Igreja samaritana, que segue os ensinamentos Jesus Cristo, o Missionário do Pai. Cuidar é missão!

Diariamente, dois caminhos se apresentam para nós: o da indiferença e o da compaixão. Se não estivermos atentos, o caminho da indiferença pode atrofiar o nosso ser discípulo e missionário do Senhor. Como cristãos, devemos combater todo comportamento de apatia. As orientações do isolamento social como medida preventiva foram e são importantes para o enfrentamento à COVID-19. Diante disso, um dos riscos que os discípulos missionários enfrentam é o comodismo, o desânimo na missão de fazer o bem. Nesse contexto existencial e eclesial, corremos o risco de nos afastarmos da realidade missionária a que o Senhor nos envia. As desculpas de não sair de si e dialogar com o próximo têm batido recorde no nosso dia a dia.

A indiferença nos deixa cegos à realidade que nos cerca. Aqui, podemos nos questionar: como podemos superar nossa miopia da fé, para crescermos na prática dos sentimentos de Cristo? Essa pergunta nos conduz para o segundo caminho, o da compaixão. A compaixão, mais do que um sentimento, é um compromisso, é se interessar pelo irmão, é sentir a dor com o outro, é algo profundo despertado no coração de quem ouviu o Senhor.

Jesus é missão! A compaixão levou Jesus Cristo a entrar em todos os contextos da sua época. As “periferias existenciais”, citadas pelo Papa Francisco, são lugares para exercemos o apostolado. O Senhor continua nos enviando, suas palavras estão sempre próximas de nós, basta que O escutemos. A vida dos santos é marcada por essa escuta e por uma resposta, cada um no seu devido tempo e com a sua missão específica. São Francisco Xavier viveu até 46 anos de idade; percorreu distâncias entre diversos países como missionário, falou e testemunhou o amor de Deus e seu Reino. Santa Teresinha viveu até os 24 anos e dedicou grande parte da sua vida à oração no Carmelo, praticando de modo exemplar a caridade, a simplicidade evangélica e a confiança em Deus. Qual é a minha missão?

O Papa Francisco, em sua Mensagem para o Dia Mundial das Missões, destacou o testemunho de missionários e missionárias da compaixão e da esperança que amenizaram o sofrimento humano nas famílias, na saúde, na educação, nas populações em situação de rua e de abandono, entre os migrantes indígenas, no mundo do trabalho, em gestos de compaixão, na missão além-fronteiras. É o Senhor que desperta o espírito missionário para sermos uma missão em cada realidade. “No Dia Mundial das Missões que se celebra anualmente no penúltimo domingo de outubro, recordamos com gratidão todas as pessoas, cujo testemunho de vida nos ajuda a renovar o nosso compromisso batismal de ser apóstolos generosos e jubilosos do Evangelho. Lembramos especialmente aqueles que foram capazes de partir, deixar terra e família para que o Evangelho pudesse atingir sem demora e sem medo aqueles ângulos de aldeias e cidades onde tantas vidas estão sedentas de bênção”(Papa Francisco).

Apresento algumas ações missionárias para ajudá-los a viver bem o mês missionário: reze pela missão (pelos missionários espalhados pelo mundo inteiro epela nossa diocese irmã Santíssima Conceição do Araguaia, no Pará); reze pela sua missão do cotidiano; faça a novena missionária em sua Comunidade ou pelas redes sociais; leia a Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Missões; leia os Atos dos Apóstolos; busque conhecer o Conselho Missionário Paroquial(COMIPA) de sua paróquia; pesquise o que é a Infância e Adolescência Missionária (IAM); faça sua  colaboração para o Dia Mundial das Missões (23 e 24 de outubro); por meio de uma ligação, leve uma palavra de compaixão e esperança para alguém da sua família ou outra pessoa que esteja precisando; reserve um minuto do seu dia para lembrar da missão.

O Papa Francisco nos exorta: “Viver a missão é aventurar-se no cultivo dos mesmos sentimentos de Cristo Jesus e, com Ele, acreditar que a pessoa ao meu lado é também meu irmão, minha irmã. Que o seu amor de compaixão desperte também o nosso e, a todos, nos torne discípulos missionários”.

Que Maria Santíssima, a primeira discípula missionária, faça crescer em todos os batizados o desejo de ser uma missão no cotidiano, não deixando de falar sobre o que vimos e ouvimos da presença e atuação de Deus em tantos irmãos e irmãs que amam e servem à Igreja de Deus e à Sociedade com compaixão e esperança.

Deus abençoe você e sua missão!