Notícias

25.11.2022

Quando montar o presépio e a árvore de Natal?

Diocese de Cachoeiro orienta qual o dia certo para montar a árvore de Natal e o presépio?

A movimentação nas lojas com a venda de enfeites natalinos começou já no mês de outubro e naturalmente, muitas pessoas começam a pensar na decoração da casa para as festa de fim de ano. Inclusive, aos sábados e domingos, algumas família já começam a colocar pisca-pisca, árvore de Natal e até o presépio. Mas sabia que há uma ordem para que aconteça a preparação da casa para esse evento?

Na liturgia católica o advento é o período de preparação para essa festa, que começa no quarto domingo antes do Natal (próximo domingo, dia 27). Logo, o início do advento seria o momento mais adequado para decorar a casa e montar a árvore e o presépio.

Para a árvore, a montagem acontece de forma gradativa, pois é como a preparação para a celebração do nascimento de Jesus. A colocação de enfeites deve ser intensificada a partir de 17 de dezembro (momento em que as leituras bíblicas começam a falar do nascimento de Jesus). A Comunicação da Diocese de Cachoeiro conversou com a especialista em teologia Maria Luiza Cota Zanarto, que explicou os significados de cada símbolo do Natal:

 

Árvore: significa a vida, símbolo da vida, nascimento, crescimento e união;

 

Bolas e Guirlanda: representam os frutos que desejamos alcançar e a prosperidade na vida;

 

Velas e luzes: Jesus é a Luz que veio iluminar a humanidade que caminhava nas trevas, trazendo a esperança ao povo;

 

Presentes: simboliza o presente de Deus à humanidade, ou seja, Jesus doa-se à humanidade revelando o amor do Pai a todos.

 

 

Presépio


De acordo com fontes históricas, o primeiro presépio foi montado por São Francisco de Assis no Natal de 1223. O frade católico montou o presépio em argila na floresta de Greccio (comuna italiana da região do Lácio). Sua ideia era explicar para as pessoas mais simples o significado de como foi o nascimento de Jesus Cristo. No século XVIII, a tradição de montar o presépio dentro das casas das famílias se popularizou pela Europa e, logo em seguida, por outras regiões do mundo.
 

Existe uma ordem também para a montagem do presépio:

 

1º Estrela de Belém: simboliza a luz de Deus que guia ao encontro do Salvador e orientou os Reis Magos para onde estava Jesus. É a indicação do caminho que se deve percorrer para encontrar o Menino Jesus.

 

2º – Anjo (responsável por anunciar a chegada de Jesus): representa o céu que celebra o nascimento de Jesus. É o mensageiro de Deus, comunicador da Boa Notícia. O anjo do presépio normalmente segura uma faixa com a frase: Gloria in excelsis Deo, que significa: Glória a Deus nas alturas.

 

3º – Manjedoura com palhas em um curral: é local onde nasceu Jesus.

 

4º – Virgem Maria (mãe de Jesus Cristo): é a escolhida para ser a mãe do Salvador. Aquela que disse “sim” à vontade de Deus e, por ela, a humanidade recebeu Jesus.

 

5º – José (pai de Jesus Cristo): é o pai adotivo de Jesus, o homem que o assumiu como filho, que lhe deu um nome, um lar, que ensinou a Jesus uma profissão, a de carpinteiro. José deu ao Menino Jesus a experiência de ser filho de um pai terreno.

 

6º – Reis Magos: Melchior, Gaspar e Baltazar eram homens da ciência. Conheciam astronomia, medicina e matemática. Eles representam a ciência que vai até o Salvador e o reconhecem como Deus. Segundo São João Paulo II, “a verdadeira ciência nos leva à fé”, pois nos revela a grandeza da criação. Os presentes que os magos oferecem ao Menino Jesus também têm significados. O ouro significa a realeza; era um presente dado aos reis. O incenso significa a divindade, um presente dado aos sacerdotes. Sua fumaça simboliza as orações que sobem ao céu. Dando esse presente a Jesus, os magos reconhecem que o Menino é divino. E a mirra simboliza o sofrimento e a eternidade. É um presente profético: anuncia que Jesus vai sofrer, mas também que seu reinado será eterno.

 

7º – Burro e Boi ou ovelhas: animais do curral, representam a simplicidade do local onde Jesus nasceu. Os animais representam a natureza a serviço do homem e de Deus. No nascimento de Jesus forneceram calor ao local e simbolizaram a simplicidade do local onde Jesus quis nascer.

 

8º – Pastores: representam a simplicidade das pessoas do local em que Jesus nasceu. Depois de Maria e José, os pastores foram os primeiros a saberem do nascimento do Salvador. Eles simbolizam a humildade, pois naquele tempo a profissão de pastor era uma das menos reconhecidas.

 

9º – Menino Jesus: filho de Deus e o Salvador. É o Filho de Deus que Se fez homem, para dar sua vida pela humanidade. “Sendo ele de condição divina, não Se prevaleceu de Sua igualdade com Deus, mas aniquilou-Se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-Se aos homens” (Filipenses 2, 6-7).

 

Considerando todos os elementos acima, Jesus é o último a ser colocado na Manjedoura na noite do dia 24 para o dia 25 de dezembro”, conta Luiza. Mas, na prática, muitas famílias já deixam o presépio todo montado desde 30 de novembro. Para ela tanto a montagem da árvore de natal quanto do presépio simbolizam a união da família em torno da fé cristã.

“É sempre um apontar para presença de Cristo. Nos convoca também a oração, porque, é impossível estar diante destes símbolos sem emergir no divino. Nas antigas comunidades, essa experiência mística - de se unir nome de Jesus - era fundamental, e hoje, apesar das nossas fragilidades e diferenças, o Natal se mantem como um momento de união, e é na união que Cristo nos convida a estar", finaliza. 
 

 

 

Mais Notícias