Notícias

20.01.2023

Fake News: Papa não cancelou a Bíblia

Site oficial do vaticano no Brasil desmente mais uma fake news levantada contra Papa Francisco

O site oficial do vaticano no Brasil (Vatican News), compartilhou nesta sexta feira, 20 de janeiro, um comunicado desmentido mais uma fake news levantada contra o Papa Francisco nas mídias sociais.  

Nos últimos dias, circula nas redes uma fake News (notícia falsa), que diz que o Papa Francisco teria cancelado a Bíblia porque está "totalmente desatualizada".

A origem do boato está no site ‘Thereisnews.com’ (Há notícias) que em 2 de abril de 2018 publicou uma nota intitulada “O Papa Francisco cancela a Bíblia e propõe criar um novo livro”.

Neste dia, o único discurso público do Santo Padre foi a oração do Regina Coeli na Segunda-feira do Anjo, no qual meditou sobre a importância de celebrar a Páscoa em família, pediu pelas pessoas que sofrem por diversos conflitos e pelos sequestrados no mundo inteiro e incentivou a oração pelas pessoas com autismo.

A nota que o Thereisnews.com aponta o seguinte: “O Papa Francisco surpreendeu o mundo hoje ao anunciar que a Bíblia está totalmente desatualizada e precisa de uma mudança radical, por isso a Bíblia é oficialmente cancelada e é anunciada uma reunião entre as personalidades mais altas da Igreja, onde será decidido o livro que a substituirá, seu nome e seu conteúdo. Alguns nomes já estão sendo considerados e o que tem mais força é ‘Bíblia 2000’”.

Em seguida, o texto atribui ao Papa as seguintes palavras: “Não podemos continuar tentando falar com o nosso público em um mundo totalmente novo com um livro que tem milhares de anos. Estamos perdendo seguidores e temos que dar um passo adiante na busca pela modernização da Igreja, reescrever a Palavra de Deus, mesmo que seja apenas o Antigo Testamento, no qual há certas passagens que é melhor não repetir”.

O site thereisnews.com, no entanto, tem um aviso legal que assinala: “O nosso site é uma página de humor cuja finalidade é entretenimento. O conteúdo do site é ficção e não corresponde à realidade”. Ou seja, trata-se de um portal de entretenimento, não há qualquer compromisso jornalístico em sua linha editorial. 

 

🔹PAPA FRANCISCO: ALVO RECORRENTE DE NOTÍCIAS FALSAS

No final de 2015, o Vaticano tinha advertido os fiéis católicos que tomassem cuidado com palavras falsamente atribuídas ao Papa Francisco: “Se as palavras atribuídas ao Papa não aparecem nos meios oficiais do Vaticano, especialmente no site oficial da Santa Sé, é muito possível que sejam falsas”, publicou o site oficial Notícias do Vaticano.

O Papa Francisco também tem insistido na luta contra notícias falsas de um modo geral, e as colocou como tema do 52ª Dia Mundial das Comunicações Sociais, celebrado pela Igreja Católica em 13 de maio de 2018. A Secretaria de Comunicação da Santa Sé explicou que o tema fake news foi escolhido porque as “informações infundadas” são aquelas que contribuem para “gerar e alimentar uma forte polarização das opiniões”. “Trata-se de uma distorção muito instrumentalizada dos fatos, com possíveis repercussões no plano dos comportamentos individuais e coletivos”, informou o Vaticano.  

A entidade ainda declarou, na época, que além das grandes empresas da web e governos ao redor do mundo estarem agindo sobre o tema fake news, era o momento da Igreja oferecer sua contribuição “propondo a reflexão sobre as causas, sobre a lógica e sobre as consequências da desinformação na mídia e ajudar a promover um jornalismo profissional, que busca sempre a verdade, e também um jornalismo de paz, que promova a cooperação entre as pessoas”.

O jornalista e escritor inglês Austen Ivereigh, em entrevista à Agência Pública afirmou: “Todos os papas desde o Concílio Vaticano II vêm sendo atacados pelos tradicionalistas, mas a ferocidade e intensidade da oposição contra Francisco é uma das características mais notáveis do seu pontificado”. Ivereigh explica: 

“O modus operandi é muito parecido com a mídia alt-right, como Breitbart [site de notícias de extrema direita dos EUA], para alimentar a indignação, retratando implacavelmente quase tudo o que o papa faz como rendição ao liberalismo e à modernidade. O objetivo é escandalizar. Tudo é lido através do mesmo filtro, e os princípios tradicionais do jornalismo, da apuração, não se aplicam. A única coisa que importa é fornecer uma narrativa para alimentar o medo e o preconceito.”

A intensidade de notícias falsas sobre o Papa Francisco é tema do livro Fake Pope. As falsas notícias acerca do Papa Francisco!, pelas Edições Paulinas na Itália, em 2018. Os autores, os jornalistas italianos Nello Scavo e Roberto Beretta, tratam de 80 matérias falsas sobre Francisco, que incluem uma série de fotos falsas com o Papa que circulam pela internet.

 

 

Mais Notícias