Notícias

16.01.2023

Pés a Caminho: Dom Luiz fala sobre os últimos dias da missão

I Experiência Vocacional Missionária que reúne até amanhã (17 de janeiro), 280 missionários e missionárias

“Todos os discípulos serão testemunhas de Jesus, graças ao Espírito Santo que vão receber: será a graça a constituí-los como tais, por todo o lado aonde forem, onde quer que estejam.” Afirmou o Papa Francisco em mensagem ao dia mundial das missões de 2022. A I Experiência Vocacional Missionária que reúne até amanhã (17 de janeiro) – na arquidiocese de Manaus, na diocese de Coari e na prelazia de Itacoatiara – 280 missionários e missionárias, em sua grande maioria seminaristas, está sendo muito enriquecedora para quem chega e para quem recebe.

Dom Luiz Fernando Lisboa, Bispo Diocesano de Cachoeiro de Itapemirim, faz parte do grupo itinerante que está conhecendo diferentes realidades da arquidiocese de Manaus. Ele diz estar vivendo a experiência como um rico aprendizado:

“Na última quarta (11), quinta (12) e sexta-feira (13), vistamos três comunidades na periferia de Manaus, áreas bastante pobres que são assistidas por um único padre. Na sexta-feira, estivemos em uma ocupação indígena. Fomos acolhidos pela cacique, dona Marta, que nos orientou à visitarmos todas as famílias e encerramos o dia com uma Santa Missa junto aos povos locais. No sábado (14) e domingo (15), vistamos outra ocupação indígena, fora das depedências da Capital (Manaus). Foram, aproximadamente, 50 minutos de barco e 2 horas caminhando por trilhas até encontrarmos a aldeia. Lá, visitamos as casas das famílias e aprendemos sobre sua rica cultura e história. Durante a noite, celebramos uma Santa Missa no sábado, e no domingo, tivemos um almoço festivo”, contou.   

Segundo Dom Luiz, a experiência está ajudando os missionários a adquirirem um outro olhar sobre a Igreja. “Neste domingo, 15 de janeiro, nós (280 missionários), retornamos à Arquidiocese de Manaus para fazer uma avaliação geral sobre essa experiência missionária. Foi uma experiência muito rica e, essa avaliação - certamente - se estende à todos os participantes”. Segundo Dom Luiz, a experiência está ajudando os missionários a adquirirem um outro olhar sobre a Igreja|:

“A missão está ajudando-os a compreender que não serão ordenados somente para sua diocese, mas como um sacerdote para a Igreja” Dom Luiz afirmou que está sendo marcado pelo “testemunho de fé das pessoas, que mesmo diante de tantas dificuldades, tantos desafios, tantas limitações, permanecem firmes na fé e acreditando na presença de Deus, presença da Igreja católica também aqui nesta porção do nosso país”.

Na paróquia Nossa Senhora do Rosário da Prelazia de Itacoatiara (AM). O seminarista Taylor Ferrari, da diocese de Cachoeiro do Itapemirim afirma que “participar desta experiência o faz conhecer o rosto da Igreja na Amazônia”. Ele relata as inúmeras realidades que desafiam não somente o missionário, mas a população em geral, vendo o tempo passado em Itacoatiara como dias enriquecedores na sua caminhada enquanto seminarista. “Entrar em contato com a realidade particular de um povo é de extrema importância para nossa formação: futuros padres”, disse. 

Considerando a atenção que a Igreja vem dando à realidade amazônica, a Arquidiocese de Manaus foi escolhida para receber essa experiência missionária que começou no último dia 5 de janeiro. O evento foi lançado oficialmente durante o “IV Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal – 50 anos do Encontro de Santarém”, que reuniu os bispos das prelazias, dioceses e arquidioceses de toda a Amazônia Legal, além de sacerdotes, leigos e religiosos e religiosas, para celebrar e refletir a ação evangelizadora da Igreja na Amazônia.

 

 

Mais Notícias